Proposição de uma Plataforma de Negócios para o SEBRAE/RS e um Caderno de Ferramentas para suporte às ações desta Plataforma

Título: Proposição de uma Plataforma de Negócios para o SEBRAE/RS e um Caderno de Ferramentas para suporte às ações desta Plataforma

Áreas de Conhecimento Envolvidas: Engenharia de Processos e Negócio, Projeto Organizacional e Modelagem.

Situação: Projeto Concluído.

Descrição: As micro e pequenas empresas possuem participação significativa na geração de emprego e renda na economia brasileira. Nesse contexto, ainda, se inserem os MEIs (Microempreendedores Individuais). Essas organizações têm sofrido com o aumento da competitividade a partir de fatores que vão desde a importação de produtos até problemas internos de gestão. Esse último aspecto motivou o SEBRAE/RS e SEBRAE/Nacional reprojetar o Projeto Negócio a Negócio. Nesse sentido, o presente projeto irá avaliar criticamente o Projeto Negócio a Negócio e projetá-lo com vistas a suportar um conjunto de ações do SEBRAE/RS e SEBRAE/Nacional que qualifiquem a gestão das Micro e Pequenas Empresas (ME) e os Microempreendedores Individuais (MEIs). Em termos teóricos, articulará os conceitos relativos aos Ecossistemas de Negócios, suportado pela Engenharia de Processos de Negócios (EPN) e pelo Projeto Organizacional (Organizational Design). Em termos metodológicos, será utilizada a Design Science e a Design Science Research com paradigma e método de pesquisa para a construção e avaliação dos artefatos necessários ao projeto. Entre os principais entregáveis do projeto de pesquisa podem ser elencados:

  • Modelagem dos papéis, responsabilidades, competências necessárias para a condução do Projeto Plataforma de Negócios; 
  • Método para a execução do Projeto Plataforma de Negócios do SEBRAE/RS. Para isto, será desenvolvida a Modelagem dos Processos que compõem a Cadeia de Valor Agregado, na notação ARIS (Architecture of Integrated Information Systems), bem como o detalhamento dos processos em nível de atividade com o uso de EPCs (Event Driven Process Chain); 
  • Desenvolvimento dos documentos e formulários que serão necessários para execução das atividades previstas para o Projeto Plataforma de Negócios; 
  • Elaboração de um diagnóstico de gestão baseado e detalhado a partir do Diagnóstico Incremental do SEBRAE Nacional (Q2) que oriente a indicação de ferramentas as empresas; 
  • Elaboração de um Caderno de Ferramentas com foco em 5 temas centrais: Finanças; Planejamento; Mercado; Organização; Pessoas; 
  • Realização de pré-teste em 5 (cinco) empresas da região metropolitana de Porto Alegre; 
  • Elaboração do Manual do Projeto que apresentará a lógica dos processos; 
  • Elaboração do Manual do Agente, para orientá-lo na execução do método; 
  • Capacitações tanto para equipe interna do SEBRAE/RS quanto para o conjunto de Universidades Executoras do Estado do Rio Grande do Sul.

Equipe: Daniel Pacheco Lacerda - Coordenador / Secundino Luis Henrique Corcini Neto - Integrante / Douglas Rafael Veit - Integrante / Aline Dresch - Integrante / Pedro de Nascimento Lima - Integrante / Mateus Girardi Tegner - Integrante.

Entenda como o Projeto Funciona:

Capacitação em Troca Rápida de Ferramenta visando a redução do tempo de setup a partir de uma perspectiva sistêmica

Título: Capacitação em Troca Rápida de Ferramentas visando a redução do tempo de setup a partir de uma perspectiva sistêmica.

Áreas de Conhecimento Envolvidas: Sistema de Produção Enxuta, Pensamento Sistêmico.

Situação: Projeto Concluído. 

Descrição: Esta capacitação apresentou aos participantes o método utilizado para a aplicação da Troca Rápida de Ferramentas - TRF, alinhado aos conceitos do Lean Manufacturing.

Para a estruturação desta capacitação foram realizados estudos sobre o mix de produtos fabricados na planta de argamassa, as tendências de crescimento da variedade, assim como um conjunto de 4 visitas técnicas a planta.

Na primeira visita técnica visualizou-se o processo produtivo da planta e os fatores que impactam no setup. No Segundo encontro foi apresentada uma versão inicial do conteúdo que seria apresentado na capacitação. No terceiro encontro foram identificadas variáveis relacionadas ao setup e elaborada a primeira versão da estrutura sistêmica das relações entre os fatores que influenciam o tempo e frequência de setup e os impactos decorrentes deste. No quarto encontro foi realizado refinamento da estrutura sistêmica e repassado as variáveis para coleta das séries históricas dos padrões de comportamento.

Por fim, foi realizada a capacitação com os participantes selecionados pela empresa e disponibilizado um novo encontro para sanar dúvidas referentes ao tema.

Engenharia como caminho? Estímulos audiovisuais para ingressar e concluir a Engenharia de Produção

Título: Engenharia como caminho? Estímulos audiovisuais para ingressar e concluir a Engenharia de Produção

Situação: Projeto Concluído

Descrição: Devido ao crescimento da economia, há um aumento da necessidade de profissionais qualificados no mercado de trabalho e, em contrapartida, uma escassez de engenheiros. Entretanto, algumas ações devem ser realizadas para aumentar a quantidade de profissionais nessa área e, consequentemente, suprir essa demanda. Tem-se como fato observado a quantidade elevada de evasões dos cursos superiores de engenharia, a qual se deve a defasagem do ensino básico, a imaturidade dos alunos, a escolha precipitada do curso, falta de perspectiva, entre outros. Por essa razão, este projeto tem como objetivo proporcionar uma visão da relevância do curso de Engenharia de Produção, a fim de que a decisão pela área seja assertiva, aumente o conhecimento sobre o curso, apresente benefícios após a formação e minimize as dificuldades a serem superadas durante o curso. Esta proposta cabe tanto aos alunos de ensino médio da Instituição Pública Co-executora do Projeto Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, quanto aos alunos ingressantes no ensino superior da Instituição de Execução do Projeto (IES) Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS. Serão produzidos vídeos de curta duração (drops) com egressos das duas instituições, a fim proporcionar uma aproximação entre o ensino médio e o ensino superior. Além disso, serão feitas entrevistas com professores da Engenharia de Produção da UNISINOS, tais como coordenadores, tangibilizando o projeto. O intuito será a disponibilização deste material no Youtube, em um blog e, como também, como sugestão para uso na disciplina de Introdução à Engenharia de Produção e áreas afins. A equipe deste projeto será composta por coordenador, um professor de ensino médio, um aluno de graduação, quatro alunos de ensino médio e colaboradores. A metodologia utilizada para gerenciar o Projeto, como cronograma de atividades, foi a da Corrente Crítica, desenvolvida por Goldratt (1998).

Assita aos vídeos produzidos por este projeto neste link:

https://www.youtube.com/user/gmapunisinos/search?query=Engenharia+Como+Caminho

Método do Projeto Negócio a Negócio Etapa 3 e Modelagem da Pré-Disposição ao Coletivismo para SEBRAE/RS

Título: Proposição de método para execução do projeto negócio a negócio Etapa 3 e modelagem da pré-disposição ao coletivismo para SEBRAE/RS.

Áreas de Conhecimento Envolvidas: Engenharia de Processos e Negócio, Projeto Organizacional e Modelagem.

Situação: Projeto Concluído.

Descrição: Projeto de pesquisa aplicada que objetiva atender duas metas. A primeira, denominada Meta 1, será identificada como Negócio a Negócio Etapa 3. A segunda meta, denominada Meta 2, será identificada como Modelagem da Pré-Disposição ao Coletivismo. A Meta 1 será suportada teoricamente pelos pilares da Engenharia de Processos de Negócios, Projeto Organizacional e Modelagem. Dentre os objetivos específicos da primeira meta do projeto estão:

  • Revisão da estrutura organizacional existente.
  • Metodologia da execução do projeto.
  • Desenvolvimento de documentos e formulários necessários para execução da metodologia.
  • Elaboração de um caderno de ferramentas com foco em operações de serviços e inovação incremental.
  • Desenvolvimento de manual que orienta a execução do método.
  • Realização de uma capacitação para equipe SEBRAE.

A segunda meta, por sua vez, visa avaliar a pré-disposição à participação das empresas ao coletivismo, com o intuito de orientá-las para projetos coletivos do SEBRAE. A Meta 2 tem como objetivos específicos:

  • Desenvolvimento de um instrumento para medir a pré-disposição ao coletivismo das empresas participantes do projeto.
  • Descrever o método para a coleta e análise de dados.

Para realização desta meta, serão utilizadas técnicas estatísticas como a análise fatorial, de confiabilidade, entre outros. O objetivo geral do projeto é inserir técnicas e ferramentas para melhoria das operações de serviços de pequenas e médias empresas. Além disso, busca fazer a ponte para o desenvolvimento de projetos coletivamente ao medir a predisposição para o coletivismo dessas organizações. Este projeto permitirá a disseminação de ferramentas de melhoria em operações de serviço para 5000 empresas.

Desenvolvimento de ações de Modelagem Organizacional, atualização metodológica e capacitação nos projetos integrantes do Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais

Título: Metodologia para a governança e atuação do Programa APLs.

Áreas de Conhecimento Envolvidas: Engenharia de Processos de Negócios, Projeto Organizacional e Modelagem.

Conheça este Projeto assistindo à este vídeo:

Descrição: Este projeto de pesquisa aplicada objetiva atender duas metas em especial. A primeira trata-se do desenvolvimento de uma Estrutura, Metodologia e Mecanismos de Governança para o Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais do Estado do Rio Grande do Sul.

A segunda meta se ocupa de capacitações e atualização metodológica do Projeto de Extensão Produtiva e Inovação (PEPI). O projeto será financiado pela Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento do Estado do Rio Grande do Sul. O projeto será suportado teoricamente pelos pilares da Engenharia de Processos de Negócios, Projeto Organizacional e Modelagem. Dentre os objetivos específicos da primeira meta do projeto estão:

  • Definição da Estrutura Organizacional necessária para a condução do Programa APLs.

  • Metodologia para a governança e atuação do Programa APLs.

  • Desenvolvimento de manual que orienta a execução do método.

A segunda meta tem como objetivos específicos a atualização da metodologia do PEPI e contemplará a revisão de toda a documentação, bem como uma capacitação referente à esta atualização metodológica. Por fim, as capacitações para o PEPI, ocorrerão em dois níveis: primeiro com a metodologia existente, com o intuito de nivelar novos núcleos. Seguido de capacitações avançadas em áreas como o Sistema Toyota de Produção, Teoria das Restrições e Inovação.

Pagina 1 de 2